Frog Legs (2002), de Mark di Suvero . | Crédito:  Divulgação / Jerry L. Thompson (fotógrafo).

Nova Iorque diferente

Conteudo Isobar

Museu de esculturas a céu aberto garante um passeio especial a quem visita a cidade norte-americana.

Nova Iorque (em especial Manhattan) seduz anualmente milhões de turistas em busca de turismo e vida cultural – musicais da Broadway, shows e museus célebres, tais como o Metropolitan, Guggenheim e MoMA, entre outros.

Para quem não se identifica com os mesmos passeios de sempre ou até mesmo quer fugir dos outlets próximos à cidade de Nova Iorque, a dica é conhecer o Storm King Art Center, que fica a apenas uma hora (de carro) de Manhattan, próximo ao Vale do Hudson. O local ocupa uma área intocada de 500 acres, repletos de verde, campos, colinas e bosques, e abriga uma coleção com mais de cem esculturas cuidadosamente posicionadas, criadas por artistas como Roy Lichtenstein e Emilio Greco.

Os trabalhos do museu (criado em 1960 por Ralph E. Ogden and H. Peter Stern) vão desde os anos pós Segunda Guerra Mundial até hoje, com aquisições, obras especialmente encomendadas e outras emprestadas. Embora o foco da coleção seja esculturas abstratas em grande escala (a maioria feita em aço), também podem ser vistos trabalhos figurativos e esculturas em pedra, terra e outros materiais.

Além das exposições permanentes, o museu Storm King complementa seu acervo com diversas exibições temporárias – que vão desde esculturas enormes até trabalhos menores que ficam expostos no prédio principal.

Uma das mostras atuais é Lynda Benglis: Water Sources , composta por esculturas e fontes em larga-escala instaladas por toda a extensão do Storm King. A outra é do artista Luke Stettner, que usa biocarvão (um tipo de carvão vegetal que é usado para melhorar o solo) nas instalações ao ar livre; e na parte interna do museu expõe fotografias, bem como uma escultura que ele irá criar no local.

“A obra de Stettner se envolve com o passar do tempo, com as forças naturais, e com as intersecções entre arte visual, poesia e memória”, afirma a curadora Nora Lawrence. Ambas as exposições vão até 29 de novembro deste ano.

O jeito mais fácil de chegar ao local é usar o carro, mas também há linhas de ônibus que e vans que transportam os visitantes. As visitas podem ser feitas de quarta a sábado, das 10h às 17h30min e o ingresso custa 15 dólares. No site é possível encontrar mais informações e programar sua visita na próxima viagem a Nova Iorque!

Mais Matérias