A estrutura do hotel vista de cima  |  Crédito: Divulgação

Frio & glamour

Conteudo Isobar

A estação mais gelada já chegou – e as opções para aproveitá-la não faltam.

É oficial: o calendário decretou, há alguns dias, a chegada do inverno. Com os termômetros em queda, nada melhor do que aproveitar a estação desfrutando todas as regalias que ela oferece: lareiras, um bom vinho e a chamada winter comfort food – a santíssima trindade originalmente suíça, composta por fondue, raclete e bourguignonne.

Aproveitar essa lista de prazeres diante de um cenário magnânimo de natureza e com extremo conforto é a aposta de muitos lugares no Brasil, mas, certamente, o Hotel Toriba é um dos peculiares entre todos eles. Isso porque o conforto vem na esteira da tradição: ele é um dos estabelecimentos de hospedagens mais antigos do Brasil – sua fundação data de 1943 – e o único brasileiro que está na rede Small Luxury Hotels of the World. Campos do Jordão, cidade na qual o Toriba se situa, é uma cidade incrustada na bela Serra da Mantiqueira, com montanhas sinuosas onde os olhos devaneiam no horizonte mais longínquo.

O que vale no estabelecimento é o preciosismo dos detalhes: tudo é milimetricamente pensado para o bom tratamento do hóspede. São dois tipos de hospedagem: apartamentos e chalés. O complexo hoteleiro tem SPA sob chancela da tarimbada marca francesa L’Occitane, que compartilha seu alto padrão nas melhores redes do segmento de hospedagem no Brasil. O Toriba também é child-friendly, numa época em que muitos estabelecimentos colocam o foco na viagem inesquecível a dois, isto é, sem a permissão de crianças.

Estrutura é o que não falta se a ideia é levar os descendentes. A hospedagem oferece monitores, recreação e muitos espaços para brincadeiras – há uma fazendinha com várias espécies de animais, como carneiros, gansos e javalis. Mas o hotel também é um oceano de tranquilidade para os que viajam com o par, apenas, já que são 130 mil m² de área privativa com um bosque de dimensões faraônicas – é revigorante passear por entre a tranquilidade de árvores centenárias que lá estão.

O que diferencia o Toriba, na verdade, é a sua gastronomia. O crème de la crème, literal e metaforicamente, são os fondues, racletes e bourguignonnes, que atraem os  apreciadores dessas iguarias – a reputação do restaurante Toribinha, subsidiário do hotel, o precede, e mesmo os não-hóspedes podem apreciar o fino sabor do cardápio e da considerável carta de vinhos.

A grande estrela da carta é o fondue com trufas brancas e, de sobremesa, o blend com chocolate belga gianduia, ao leite e meio amargo com frutas secas variadas. É possível dizer que são as amostras do melhor fondue do Brasil. Sem pirotecnia – exceto a da explosão de sabores inigualável. Pergunte para os exímios sommeliers da casa na dúvida sobre o vinho ideal – eles saberão o que, exatamente, indicar. Se a sua aposta é arriscar, prove o rótulo Chateau Ksara Reserve du Covent, da  região de Nakhlé Hanna, no Líbano, cuja vinícola foi fundada em 1857. Equilibrado e fácil de beber, é feito com três castas francesas: cabernet franc, syrah e cabernet sauvignon. Para o doce, opte pelo tradicional vinho do Porto.

Vale apreciar uma refeição saborosa no restaurante Pennacchi, que leva esse nome por estampar em suas paredes os afrescos bucólicos do pintor ítalo-brasileiro Fulvio Pennacchi, contemporâneo de Alfredo Volpi e Clovis Graciano.

Se viajar dirigindo para Campos do Jordão é cansativo, nada melhor do que contratar um serviço que faça isso por você – o chauffeur James, da marca James Táxi, pode fazer esse serviço com conforto e benefícios, com transfers a partir de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, por exemplo.

O calor dessa estação também é possível fora da sua zona de conforto – para chegar a isso, vale apostar em uma viagem com todo o requinte invernal que ela oferece.

(A jornalista viajou a convite do hotel)

 

Mais Matérias