shutterstock_187709891

Velejar para relaxar

Conteudo Isobar

Saiba mais sobre os veleiros, ótimas companhias para fãs e iniciantes da vida sobre as ondas.

Que tal relaxar sentindo o vento no rosto e tendo o horizonte a perder de vista? Velejar é um dos hobbies mais relaxantes e pode ser praticado por novatos e experts, por conta própria ou com a família e amigos.

Segundo Marcio Dottori, diretor técnico da revista Náutica, as vantagens dos veleiros são várias: “Veleiros saem mais em conta e consomem muito menos combustível que as lanchas. Barcos a vela são ainda muito mais silenciosos, mesmo usando o motor, e, como usam o vento como meio de propulsão principal, têm uma autonomia quase que infinita”.

Ainda segundo ele, a quilha de metal no fundo do casco faz com que os veleiros sejam mais seguros que as lanchas de mesmo tamanho, em condições de mau tempo. No entanto, em termos de velocidade, as lanchas ganham de longe: veleiros chegam a ser, em média, quatro vezes mais lentos.

Para quem está começando, Dottori indica os pequenos veleiros monotipos, para uma ou duas pessoas, pois são mais fáceis e seguros de manejar. Já para os mais experientes, o fator determinante normalmente diz respeito ao uso. “Por exemplo, quem prefere competições deve escolher modelos projetados para regatas, cuja velocidade é a prioridade.” Também segundo ele, para fazer travessias deve-se dar preferência ao conforto, assim o ideal é escolher veleiros com cabine grande e tanques de combustível e de água de grande capacidade.

A manutenção, segundo Dottori, os veleiros que tiverem motor auxiliar necessitam de revisões no propulsor, que podem ser semestrais ou anuais, e o custo é semelhante ao de um carro médio. “Eventualmente, pequenos consertos nas velas, uma vez ao ano, tornam-se necessários, principalmente para quem participa de regatas”, acrescenta ele. Se o barco for ficar permanentemente na água, deve-se pintar o fundo com tintas que repelem cracas, a cada dois anos, no máximo.

Para guardar o barco a vela enquanto não estiver usando, aposte nas marinas ou iates clubes. O custo gira em torno de R$ 30 para cada pé (um pé náutico equivale a 30,48 cm) de comprimento do barco por mês. “Assim, um barco de 30 pés custaria, segundo este critério, R$ 900 por mês de estadia”, explica Dottori.

Ainda segundo o especialista, veleiros normalmente não possuem um tripulante fixo, pois o comandante do barco normalmente é o proprietário. “Vale lembrar que, assim como nas lanchas, é necessário ter a carteira de habilitação náutica para conduzir um veleiro motorizado”.

Diversos estaleiros oferecem uma gama de veleiros de todos os tipos para quem está interessado em adquirir o seu. Uma das marcas disponíveis é a Bavaria, que possui embarcações com layout pensado para manobras simples com tripulação reduzida ou mesmo em solitária, ou seja, quando você é o capitão. Os veleiros Bavaria são projetados pela Farr Yacht Design, com o interior revista pela Design Unlimited.

É hora de içar velas e partir para a aventura marítima.

Mais Matérias