Trecho da ER - Crédito Acervo IER - Rodrigo Azevedo

Pé na Estrada Real

Conteudo Isobar

Preparamos um guia para quem vai encarar a trilha mais famosa do Brasil e seus 1630 quilômetros, que passam por Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

Com mais de 1.600 quilômetros de extensão e quase 300 anos de existência, a Estrada Real é a maior rota turística do país e passa por Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

Em meados do século 17, a Coroa Portuguesa decidiu oficializar os caminhos para o trânsito de ouro e diamantes de Minas Gerais até os portos do Rio, criando quatro rotas, que, juntas formam a Estrada Real: Caminho Velho, Caminho Novo, Caminho do Sabarabuçu e Caminho dos Diamantes.

O Caminho Velho foi a primeira via aberta oficialmente pela Coroa Portuguesa para ligar o litoral fluminense à região produtora de ouro no interior de Minas Gerais. Com 710km de extensão, o percurso é o mais longo da Estrada Real, começando em Paraty e indo até Tiradentes.

Entre os atrativos do Caminho Velho, vale destacar o Parque Complexo da Zilda e suas cachoeiras, corredeiras, grutas e pinturas rupestres, e o Parque das Águas de Caxambu, uma das estâncias favoritas da família imperial. Já São João del-Rey é inusitada: única cidade brasileira onde os sinos das igrejas ainda são tocados, dia e noite. Para os romeiros, Aparecida do Norte, em São Paulo, e as igrejas barrocas de Tiradentes, em Minas, são paradas obrigatórias.

O Caminho Novo foi aberto para ser uma alternativa mais rápida e fácil ao Caminho Velho, indo do Rio de Janeiro até Ouro Preto, e guarda elementos da época das bandeiras e das primeiras explorações. Petrópolis, Santos Dumont e Juiz de Fora estão entre algumas das cidades que margeiam esse trecho da Estrada Real.

As principais atrações da cidade imperial são o Museu Imperial, antigo palácio de verão de Dom Pedro II, e o Palácio de Cristal. As cervejarias artesanais de Petrópolis são um show à parte.

Por ser o local de nascimento do pai da aviação, Santos Dumont possui atrativos relacionados ao aeronauta, como o sítio em que nasceu e viveu, que hoje é o Museu Cabangu. A cidade também viu instalar-se a primeira fábrica de laticínios da América do Sul em suas terras. Anteriormente conhecida como Palmira, a cidade era famosa por importar queijo tipo Reino e, em seguida, deu nome a uma variedade do mesmo laticínio, embalado em latas redondas e coberto com uma casca cor-de-rosa.

Além da Avenida Rio Branco, antiga Estrada do Paraibuna, que conecta as duas pontas desse caminho, Juiz de Fora também dá acesso ao Parque Estadual do Ibitipoca, lugar perfeito para quem gosta de esportes como rafting.

O Caminho de Sabarabuçu, o mais curto de todos, tem apenas 160 km de extensão e foi aberto por viajantes que acreditavam haver ouro no topo da Serra da Piedade. Encontraram minério de ferro e fundaram cidades como Sabará, Terra da Jabuticaba, Caeté, destino dos esportistas radicais, e Rio Acima, com seu Trem das Cachoeiras, uma Maria-Fumaça de 1924.

Mais famoso dos quatro, o Caminho dos Diamantes se estende por 395km, com início em Diamantina e término em Ouro Preto. Essa rota passou a ter grande importância a partir de 1729, quando as pedras preciosas de Diamantina ganharam destaque nas economias brasileira e portuguesa.

Entre as cidades espalhadas pelo Caminho dos Diamantes estão Serro, conhecida pelo famoso queijo do Serro, Patrimônio Imaterial Brasileiro, Diamantina, terra-natal de Juscelino Kubitschek e Chica da Silva, e Ouro Preto, antiga capital mineira.

Estando lá, vale conhecer as obras de Aleijadinho, o Museu da Inconfidência e a Mina de Chico Rei, escravo que comprou sua liberdade com o ouro que escondia em seus cabelos. Em Diamantina, a Casa Chica da Silva e o Mercado Velho são grandes atrativos, além do Caminho dos Escravos, estrada construída pedra a pedra pelos negros no século 17.

Aproveite também para mergulhar na história com as pinturas rupestres do Sítio Arqueológico da Pedra Pintada e perder o fôlego com as exuberantes paisagens da reserva do Espinhaço e do parque Nacional da Serra do Cipó.

No site do Instituto Estrada Real, você pode montar seu roteiro, incluindo passeios e hospedagem. E prepare-se: ao escolher percorrer a Estrada Real em veículo 4×4, o instituto prevê oito dias pelo Caminho Velho, seis dias pelo Caminho Novo, dois dias pelo Sabarabuçu e quatro dias pelo Caminho dos Diamantes.

Mais Matérias