As designers Petula Silveira e Amanda Py, criadoras da PP Acessórios. | Créditos: Divulgação.

Reciclagem deluxe

Conteudo Isobar

Marcas apostam na reciclagem de materiais para conquistar novos clientes.

Os anos 2000 trouxeram um novo momento para a moda. A globalização e a internet romperam as fronteiras, permitindo que pessoas de diferentes nações e culturas pudessem se vestir quase que da mesma maneira. Desse ‘multiculturalismo’ surgiu o movimento fast fashion e a sazonalidade da moda.

Nesse início de década, o novo desafio da indústria fashion vai ser investir no conceito slow fashion, com pegada up cycling e ecofriendly, novíssima tendência entre os trendsetters, que já detectaram que o novo cool é o consumo consciente, que pode ser muito bem contextualizado através da célebre frase de Antoine Lavoisier, que diz que “na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”.

No Brasil, destaca-se a gaúcha PP Acessórios. Criada pelas designers Petula Silveira e Amanda Py, marca trabalha o couro excedente da indústria calçadista da forma mais pura: cru e com acabamento à fio, criando um processo totalmente sustentável. Valendo-se dessa reutilização, Petula e Amanda não criam uma nova demanda de material e ainda evitam o crescimento do lixo tóxico.

Em um processo totalmente artesanal, as peças da PP Acessórios são únicas e exclusivas, uma vez que será muito difícil encontrar duas peças ou acessórios iguais. O engajamentos das sócias com o meio ambiente vai além das peças que elas comercializam nas lojas de Porto Alegre e São Paulo. As embalagens da marca nãopassam por nenhum processo químico.

Uma das mais tradicionais labels também tem apostado altas fichas nesse conceito. Comandada Pascale Mussard, a Petit h, oficina de reciclagem que cria móveis e objetos de design a partir de materiais descartados pela Hermès ganhou, no último mês de junho, um espaço físico junto à boutique da Maison, na Rue de Sèvres, em Paris.

Cada sobra de tecido, couro, cristais ou aviamentos que chega à oficina vindo diretamente dos ateliês da Hermès é guardado para – sob o olhar de artistas e designers – ganhar um novo significado. Sob a direção artística de Pascale, os famosos carrés de seda da marca são transformados em colares, vasos de cristal passam a funcionar como luminárias e argolas da bolsa desejo Kelly podem virar suportes para espelho, por exemplo. Para apresentar ao público o conceito e processo criativo do ateliê, a marca criou uma série de pequenos filmes, que estão disponíveis no site oficial da marca.

Mais Matérias