shutterstock_108719426

Sabores Porteños

Conteudo Isobar

Aproveite o melhor da gastronomia de Buenos Aires com o roteiro da Revista Estilo BB. 

Conhecer uma nova cidade envolve descobrir cada canto de sua história, arquitetura, cultura,  e é claro que a gastronomia não pode ficar de fora. Afinal, os hábitos alimentares dizem muito sobre seu povo, especialmente os portenhos (nascidos na capital Argentina).

Há quem diga que Buenos Aires é um pedaço da Europa na América do Sul – o visual e o clima frio não deixam discordar. Outra prova disso é a quantidade de cafés. O consumo da bebida, acompanhado de uma medialuna (espécie de croissant levemente adocicado) é uma tradição argentina e acontece a qualquer hora do dia ou da noite.

O mais famoso deles é o Café Tortoni. Localizado no centro da cidade, próximo à Calle Florida, foi inaugurado em 1858 e tornou-se uma lenda. Além do café com medialuna, há um cardápio repleto de bolos, tortas e um delicioso chocolate quente acompanhado de churros. Aos fins de semana há shows e apresentações de tango.

Impossível da cidade sem falar das empanadas, uma verdadeira paixão nacional. O salgado tem massa fina e crocante, geralmente à base de banha de porco, e pode ser recheado de diversas maneiras.  No El Sanjuanino, uma das casas de empanadas mais famosas, a mais pedida é a Gran Sanjuanino.

Em vez de assada em forno a lenha, como pede a tradição, ela é frita, e recheada com carne bovina, ovos, azeitonas e uvas passas. No entanto, a criatividade é o limite: queijo roquefort com cebolas, queijo e presunto, frango ou a empanada salteña. A casa tem três filiais, nos bairros Recoleta, Barrio Norte e Belgrano. 

Junto com Uruguai e o sul do Brasil, a Argentina é uma das maiores produtoras de carne bovina região, e não é de se estranhar que os pratos com esse ingredientes estejam entre os preferidos de turistas e locais. 

A parrillada argentina, outro prato tradicional, é preparado na grelha, tal como churrasco, e servida na chapa, para manter a temperatura. Os cortes são variados, alguns ainda pouco conhecidos no Brasil: chorizo (linguiça), morcilla (linguiça de sangue), tira de asado (costela) e achuras (rins, intestino e outros miúdos).

Para quem não quiser provar novos (e exóticos) sabores, a pedida é ojo de bife ou bife de chorizo, cortes macios, saborosos e mais parecidos com o tipo de churrasco que se degusta no Brasil. Papas (batatas) fritas e molho chimichurri acompanham e tanto a parrillada quanto as carnes podem ser saboreadas em restaurantes consagrados de Buenos Aires, como La Cabrera, El Pobre Luis e Parrilla Don Julio.

Aproveite o melhor da gastronomia de Buenos Aires com o roteiro da Revista Estilo BB.

Conhecer uma nova cidade envolve descobrir cada canto de sua história, arquitetura, cultura,  e é claro que a gastronomia não pode ficar de fora. Afinal, os hábitos alimentares dizem muito sobre seu povo, especialmente os portenhos (nascidos na capital Argentina).

Há quem diga que Buenos Aires é um pedaço da Europa na América do Sul – o visual e o clima frio não deixam discordar. Outra prova disso é a quantidade de cafés. O consumo da bebida, acompanhado de uma medialuna (espécie de croissant levemente adocicado) é uma tradição argentina e acontece a qualquer hora do dia ou da noite.

O mais famoso deles é o Café Tortoni. Localizado no centro da cidade, próximo à Calle Florida, foi inaugurado em 1858 e tornou-se uma lenda. Além do café com medialuna, há um cardápio repleto de bolos, tortas e um delicioso chocolate quente acompanhado de churros.

Impossível da cidade sem falar das empanadas, uma verdadeira paixão nacional. O salgado tem massa fina e crocante, geralmente à base de banha de porco, e pode ser recheado de diversas maneiras.  No El Sanjuanino, uma das casas de empanadas mais famosas, a mais pedida é a Gran Sanjuanino.

 

Em vez de assada em forno a lenha, como pede a tradição, ela é frita, e recheada com carne bovina, ovos, azeitonas e uvas passas. No entanto, a criatividade é o limite: queijo roquefort com cebolas, queijo e presunto, frango ou a empanada salteña. A casa tem três filiais, nos bairros Recoleta, Barrio Norte e Belgrano.

 

Junto com Uruguai e o sul do Brasil, a Argentina é uma das maiores produtoras de carne bovina região, e não é de se estranhar que os pratos com esse ingredientes estejam entre os preferidos de turistas e locais.

A parrillada argentina é preparado na grelha, tal como churrasco, e servida na chapa, para manter a temperatura. Os cortes são variados, alguns ainda pouco conhecidos no Brasil: chorizo (linguiça), morcilla (linguiça de sangue), tira de asado (costela) e achuras (rins, intestino e outros miúdos).

Para quem não quiser provar novos (e exóticos) sabores, a pedida é ojo de bife ou bife de chorizo, cortes macios, saborosos e mais parecidos com o tipo de churrasco que se degusta no Brasil. Papas (batatas) fritas e molho chimichurri acompanham e tanto a parrillada quanto as carnes podem ser saboreadas em restaurantes consagrados de Buenos Aires, como La Cabrera, El Pobre Luis e Parrilla Don Julio.

Mais Matérias