A delicadeza do cardápio do restaurante dinamarquês Relæ (Relæ/Divulgação)

Os sabores sustentáveis

Conteudo Isobar

Menu do restaurante Relæ alia sabor e sustentabilidade

O chef Christian Puglisi nasceu na costa da Sicília, na Itália, mas se mudou para a Dinamarca ainda garoto. Na capital dinamarquesa, Copenhague, ele consolidou o nome Relæ – um restaurante de comida excelente e sustentável –, uma nova proposta à cozinha escandinava.

Desde 2010, o toque de Puglisi vem recebendo aplausos, seja de quem comparece à rua Jægersborggade (onde o Relæ está), seja dos maiores especialistas em gastronomia. Receitas enganosamente simples proporcionam sabores inesquecivelmente marcantes.

O Relæ dedica-se à confecção de jantares requintados, resultado do trabalho de uma equipe jovem e amigável. Princípios da cozinha nórdica aparecem aliados ao melhor da herança gastronômica da Itália: assim Puglisi extrai o diferencial para definir seu cardápio sustentavelmente ético e convidativo.

Dois anos antes de receber o primeiro Prêmio Michelin, em 2012, o Relæ havia chamado a atenção do jornal norte-americano The New York Times, que o classificara, à época, de “o lugar mais equivocado de Copenhague”, dada a proposta inusitada do restaurante dinamarquês.

O estabelecimento rústico e informal, mas de extremo bom gosto, mantém baixos os níveis de emissão de gases que causam o efeito estufa apostando em legumes, cereais, frango e peixes. Essa concepção inovadora em termos de gastronomia tem suas receitas reunidas no livro Relæ, um livro de ideias, lançado por Puglisi, em 2014.

O estilo simples do restaurante sustentável o colocou entre os 40 melhores do mundo. Ano após ano, a casa recebe o devido reconhecimento da crítica especializada e dos consumidores. O Sustainable Restaurant Award foi conquistado, recentemente, por duas vezes consecutivas.

SIMPLICIDADE COM QUALIDADE

Para experimentar o cardápio orgânico do Relæ, é necessário ir à rua Jægersborggade, no parque Norrebro, onde Puglisi estabeleceu-se com sua equipe. De acordo com o chef, o objetivo é servir “pratos pessoais, excelentes e com preços acessíveis”.

No início de junho, o restaurante inaugurou novo menu, de autoria do jovem e talentoso chef Jonathan Tam. A iniciativa integra revigorada proposta de sustentabilidade: mais sabores, mais texturas e mais resultados surpreendentes.

Tam aposta em pequenas porções para produzir dishes deliciosos. Entre os mais chamativos, podem-se citar os cogumelos com amêndoas e pão de fermento, a truta em folhas secas e a cebola cozida em água de bétula.

FAZENDA ORGÂNICA

Não contente em ser líder de sustentabilidade no mundo, o Relæ deu início à própria fazenda orgânica. Ela fica a 45 minutos de Copenhague e vai garantir ao restaurante os ingredientes necessários para continuar inovando e preservando o meio ambiente.

Os primeiros legumes já começaram a aparecer no local e, em breve, os clientes poderão experimentar carnes de vitela, bovina, suína e de frango provenientes da fazenda orgânica. A atenção em cada detalhe é o que coloca o Relæ à frente dos demais.

Mais Matérias