shutterstock_245059399

Um espaço, várias funções

Conteudo Isobar

Imóveis com cômodos reversíveis são versáteis, funcionais e cada vez mais buscados por proprietários e investidores.

O anúncio diz “3 dormitórios”, mas pode muito bem ser entendido como “1 dormitório, 1 home theater e 1 quarto de hóspedes que vira living”, depende da imaginação do futuro morador.

Espaçosos ou compactos, imóveis de todos os tipos podem ter cômodos reversíveis, que podem ser adaptados para adquirir funções diferentes das originais. O que vale é a versatilidade: um quarto pode se transformado em ateliê; a cozinha pode se unir à sala de jantar e criar um ambiente integrado maior e mais receptivo; um pedaço do living pode fazer as vezes de quarto de hóspedes.

Segundo a designer de interiores Gisoneide Viana, de Brasília, qualquer imóvel pode ser transformado em reversível, “desde que se queira ter mais espaços e melhor aproveitamento dos mesmos”.

Com experiência em soluções reversíveis, Gisoneide estudou em Londres, na Inchbald School of Design, mas foi em Viena que se apresentou a primeira oportunidade de transformar ambientes, quando surgiu a necessidade de instalar um banheiro extra no apartamento alugado. Na ocasião, não era permitido mexer na encanação, nem furar as paredes. A solução foi criar, em um dos quartos, uma cabine com ducha atrás de um biombo, que, ao mesmo tempo, decorava e escondia o banho improvisado. O proprietário gostou tanto que comprou o conjunto biombo-cabine quando a família de Gisoneide mudou-se do apartamento.

Um exemplo bastante em alta nos dias de hoje são imóveis em que um dos dormitórios tem conjuntos de portas e painéis no lugar de uma ou mais paredes. Quando aberto, o quarto amplia a sala. Fechados, os painéis protegem a intimidade do habitante daquele cômodo.

A designer também acrescenta que qualquer cômodo ganhar múltiplas funções, mas é importante que “se possa derrubar paredes e ter uma estrutura pronta para essa revitalização”. Por isso, é indicada a consultoria de um profissional especializado. O desafio é justamente criar ambientes acolhedores que acomodem mais de uma função e cabe ao designer ou arquiteto, saber escolher os materiais que melhor se adaptam ao espaço.

“O aproveitamento de espaços, hoje, é quase uma lei para garantir conforto e usufruir de mais comodidade e facilidades que tornam a vida bem mais agradável”, finaliza a designer.

Gisoneide Viana é cliente da Agência Estilo Três Poderes (Brasília) desde 1994 e foi convidada a participar da edição de janeiro da Revista Estilo BB. 

Mais Matérias