A fuligem de carbono é separada de substâncias nocivas à saúde (Graviky Labs/Divulgação)

O pigmento está no ar

Conteudo Isobar

Companhia Graviky Labs transforma poluição em tinta

A poluição do ar preocupa a humanidade. Nos últimos tempos, tem-se tentado fazer dela algo benéfico a todos, de modo a preservar a vida do planeta em que vivemos. Mas a qual propósito serviriam as emissões de gás carbônico além da intoxicação desenfreada?

A resposta a essa pergunta pode ser concedida adequadamente pela Graviky Labs. Com sede em Bangalore, na Índia, um dos países mais poluídos do mundo, a companhia decidiu aliar ciência, design e sustentabilidade. Para esses profissionais, o conhecido e maléfico dióxido de carbono deve ser utilizado como tinta.

A fuligem de carbono acabou tornando-se insumo na elaboração de utensílios necessários ao trabalho artístico: canetas diversas, tintas em óleo e pigmentos para spray. Tudo é cuidadosa e genialmente capturado de canos e escapamentos de carros, motos e caminhões.

A tinta utilizada pela Graviky Labs foi apropriadamente classificada de air ink (“tinta do ar”, em português). Ela é separada dos metais pesados e das substâncias cancerígenas por um aparelho chamado Kaalink Capture System.

A ideia de aproveitar-se da poluição partiu de Anirudh Sharma, um dos fundadores do Graviky Labs, depois de notar, em suas roupas, manchas resultantes da poluição pesada na Índia. Longe de resolver os problemas crônicos referentes ao tema, contudo, a grata e adequada iniciativa amplia as maneiras de contenção da destruição da natureza.

PRODUTOS

O já mencionado dispositivo Kaalink foi desenvolvido pelo Graviky Labs para capturar até 95% de todas as partículas emitidas pelos escapamentos dos automóveis. Cinquenta minutos de baforada sobre o dispositivo, que é à prova d’água e de calor, são capazes de abastecer uma caneta air ink.

https://youtu.be/WbF3PdXWVj0

Produto extremamente inovador, a air ink é a primeira tinta reciclada e extraída da poluição do ar. A ideia da empresa consiste em impedir o dióxido de carbono de chegar aos pulmões das pessoas, transformando-o em matéria prima para a geração de riquezas.

https://youtu.be/cwy549sOYb8

Por fim, o Jackboy é uma plataforma multissensorial que se comunica com qualquer smartphone. Por meio dela, é possível monitorar a qualidade do ar, o álcool, o índice de raios ultravioleta, a umidade da pele, entre outras utilidades.

Mais Matérias