TD_21_Baixa Resolu+ºao

Entrevista: Gilberto Elkis

Conteudo Isobar

O paisagista fala com exclusividade sobre sua carreira, inspirações, relação com os clientes e projetos favoritos.

Casas, hotéis, condomínios, fazendas, ilhas, áreas urbanas: qualquer ambiente pode ser transformado pelos projetos de Gilberto Elkis. “Paisagismo é emoção, sensação”, define ele, com 25 anos de carreira que o tornaram um dos profissionais mais respeitados da área. 

De estilo que ele autodenomina “eclético”, Elkis foca toda sua atenção para atender as reais necessidades de cada cliente em cada projeto que realiza. “Antes de escolher uma linha de criação, busco desvendar os desejos deles”, diz.

Em entrevista exclusiva à Revista Estilo BB, Gilberto fala de suas maiores inspirações, projetos favoritos e a maneira com que o paisagismo contribui com o bem-estar no dia a dia das pessoas. Confira!

Revista Estilo BB – Você costuma seguir algum estilo ao realizar seus projetos?

Gilberto Elkis – Gosto de todas as escolas do paisagismo: inglesa, italiana, oriental, colonial, francesa, tropical, zen, contemporânea e tantas outras. Cada estilo tem sua particularidade, sua beleza, e são grandes referências. Contudo, antes de escolher uma linha de criação, busco desvendar os desejos do meu cliente, realmente saber o que ele deseja, quais plantas, flores e elementos trazem boas memórias afetivas. Ao mesmo tempo, analiso tecnicamente o local onde será criado o jardim. É fundamental avaliar as condições físicas do solo, questões climáticas predominantes, métodos de irrigação, etc.

Revista Estilo BB – É possível citar um projeto preferido?

Gilberto Elkis – O projeto que estou fazendo é sempre o meu projeto favorito, a menina dos olhos! Mas já que é para citar apenas um, destaco o que pode ser visto e contemplado por todas as pessoas: o projeto do Hotel Unique, em São Paulo, que é realmente um marco na minha carreira.

Quando fui convidado para participar, sabia que não poderia ser um projeto simples, teria de ser exclusivo e surpreendente. Foi quando apresentei a ideia mais audaciosa que tive: uma piscina vermelha, na cobertura do hotel. Ruy Ohtake e João Armentano, arquitetos que assinam o projeto do hotel e o design de ambientação, disseram que eu era louco. Mas fazer algo convencional já não estava mais nos meus planos e segui em frente. O resultado dessa minha loucura foi um projeto incrível, nunca visto até então. Em 2004 veio o maior reconhecimento: em 2004 ela foi eleita pela revista inglesa Wallpaper como A Melhor Piscina do Mundo! 

Revista Estilo BB – Quais quesitos você considera fundamentais na hora de criar um projeto para um novo cliente?

Gilberto Elkis – O mais importante é conhecer o cliente. Desvendar seus desejos e os desejos que o cliente nem sabe que tem, mas que estão lá guardados em algum lugar. Por isso, digo que às vezes sou um psicólogo. Preciso saber de quais tipos de plantas e flores ele gosta. Ele gosta de um jardim com horta? O elemento água é importante? Tem filhos? Gosta do estilo europeu ou prefere um jardim vertical? Gosta de tomar sol?

Num mundo em que o virtual ganha cada vez mais espaço nas relações humanas, prefiro sentar frente a frente, bater um papo, oferecer um café fresquinho, apresentar meus cachorros que vivem no escritório e ouvir do meu cliente as coisas que o fazem feliz!

Além disso, também é muito importante analisar os fatores climáticos predominantes no local: o tipo de solo, incidência de sol, se será um jardim plantado no solo ou disposto em vasos e floreiras, se há arquitetura existente no local.

Revista Estilo BB – Existe algum arquiteto ou paisagista que inspira sua carreira?

Gilberto Elkis – São muitas as minhas inspirações. Tem muita gente boa no mundo, arquitetos e paisagistas fantásticos. Mas eu gosto sempre de mencionar o Roberto Burle Marx, que, além de ser brasileiro, é um nome reconhecido mundialmente. Mais que paisagista, ele era um verdadeiro artista e dono de um talento incomensurável, que enchia de beleza tudo que fazia. Paisagista, pintor, escultor e tapeceiro, a expressão visual de Burle Marx é sua identidade única. Ele está sempre nos meus pensamentos.

Revista Estilo BB – Quais espécies de planta você mais gosta de usar? Por quê?

Gilberto Elkis – Não tem uma planta que eu não goste de usar, amo todas elas. A escolha por uma espécie ou outra vai depender do estilo do jardim. Mais que gostar de uma ou de outra espécie, o desafio para um paisagista é harmonizar o todo. Como na moda, o paisagismo não se faz em apenas um elemento. É o todo – a composição – que vai trazer o belo, o incrível e o especial. É preciso ter uma sensibilidade muito grande, respeito e amor pela natureza e também gosto apurado e ousado para agregar elementos ao projeto paisagístico.

Texturas, cores, cheiros, volumetria, tudo compõe o visual. Sou apaixonado pelas árvores nativas do Brasil: o jacarandá, o ipê, o pau-brasil são algumas espécies belíssimas. Gosto muito das frutíferas, também. Além de dar sombra, elas atraem os pássaros – eu adoro pássaros – e nos dão o alimento. As plantas de cheiro são bárbaras. Na verdade, as plantas e os elementos da natureza despertam nossos cinco sentidos!

Revista Estilo BB – Qual a função do paisagismo no dia a dia das pessoas?

Gilberto Elkis – Eu gosto de surpreender as pessoas e, por meio dos jardins que crio, despertar nos meus clientes as mais bonitas memórias afetivas. Acho importante que as pessoas tenham um lugar especial, com elementos da natureza (plantas, água, pedras, etc.), para que elas se sintam conectadas com o que há de mais importante na vida: a paz e a sensação de bem-estar.

Mais Matérias