capa

Desenhos de mãe

Conteudo Isobar

Filho luta para manter viva a história de uma das arquitetas mais prolíficas e criativas de todos os tempos.

Denise Scott Brown (1931) talvez seja uma das mais subestimadas arquitetas da modernidade. Ao lado do marido, o também arquiteto Bob Venturi, a profissional planejou dezenas de obras, como universidades, museus de arte, institutos e outras edificações. O casal fundou o escritório Venturi Scott Brown and Associates, sediado na Filadélfia, na Pensilvânia, EUA. Além disso, em breve a história dessa união será contada em documentário dirigido pelo filho da dupla.

Embora o casal tenha trabalhado e concebido os projetos em conjunto, apenas Bob Venturi foi laureado com o Pritzker, em 1991. Espantosamente, sua parceira de criação não foi lembrada pelo júri do mais importante prêmio da arquitetura mundial.

O fato suscitou manifestações indignadas entre os profissionais do meio e deu abertura a uma série de questionamentos sobre os preconceitos que as mulheres enfrentam na profissão. Após ganhar o prêmio, Venturi se manifestou: “Denise é a minha parceira inspiradora e de criação”.

O arquiteto alemão Rem Koolhas (vencedor do Pritzker em 2000) declarou na época: “O fato de uma das parcerias mais criativas e produtivas que já vi na arquitetura ter sido separada por um prêmio, em vez de celebrada, é uma injustiça muito constrangedora – e algo que seria ótimo se fosse desfeito”.

Com o intuito de combater a injustiça, um grupo de estudantes da Harvard School of Design criou uma petição – que já ultrapassa as 19 mil assinaturas – solicitando o reconhecimento de Denise ao lado de Venturi no Pritzker. Seis vencedores do prêmio já assinaram o documento, dentre eles, Zaha Hadid, a primeira mulher a vencer o Pritzker, em 2004.  Outros nomes importantes, como Paola Antonelli, curadora de arquitetura e design do MoMA e o fotógrafo de arquitetura Iwan Baan foram signatários do documento.

No entanto, mesmo após tanta comoção pública, é difícil esperar alguma mudança na decisão. O motivo é simples: segundo os organizadores do Pritzker, a banca muda a cada ano e o máximo que pode ser feito é apresentar o assunto aos jurados atuais.

À frente do seu tempo

Em uma matéria no blog da revista “The New York Review of Books”, o jornalista Martin Filler classificou Denise como a arquiteta mais vanguardista do mundo. Ao lado do marido, Denise desenhou, planejou, deu aulas e escreveu livros. Um deles, “Aprendendo com Las Vegas”, causou furor com o lançamento por conta das ironias e críticas à arquitetura moderna, classificada pelo casal como dogmática e utópica. Ao mesmo tempo, a dupla procura aprender com a paisagem existente e com a arquitetura “feia e banal” da cidade, que se tornou o paraíso dos cassinos.

Em memória

Denise e Venturi já estão aposentados, mas as suas contribuições para a arquitetura não ficarão no passado. James Venturi, único filho do casal, comanda a produção de um documentário que abordará a vida pessoal, profissional e acadêmica da dupla criativa. Para saber mais sobre o projeto, acesse o seu site oficial aqui.

Mais Matérias