DancingStrong é a organização criada por Adesola Akinleye para democratizar a dança. | Crédito: Divulgação

A força da dança

Conteudo Isobar

Liderada pela coreógrafa Adesola Akinleye, organização Dancing Strong engloba arte, educação e dança.

Todo mundo dança. Seja você um grande bailarino ou aquele que fica sentado só batendo o pé ao ritmo da música, saiba que a dança é parte da expressão corporal de todo ser humano. É exatamente o aspecto democrático dessa arte que conquistou a coreógrafa Adesola Akinleye e abriu caminho para sua organização, DancingStrong. A companhia cria projetos baseados em performances corporais que objetivam dar voz às pessoas que não se consideram parte do público mais comum da dança.

Um dos projetos vigentes une arquitetura e dança. Segundo a coreógrafa, ambas as artes “compartilham a mesma linguagem de forma e estrutura – ambas aproveitam textura, cor e ritmo, ambas manipulam sólidos (corpo ou tijolo) e espaço para definirem a si mesmas”. Chamado de Dance & Architecture, o projeto visa direcionar o olhar do observador para os movimentos criados pela arquitetura da mesma forma que faz ao obsevar um espetáculo de dança, percebendo formas geradas por corpo e edificação. A ideia é construir uma narrativa física que parece viva em todo o alcance visual do espectador, não apenas em torno do corpo do dançarino.

Adesola usa seu conhecimento para criar espaços esquematizados para receber a dança. Esses espaços para dançar requerem trabalhos de luz e sombra, textura e/ou timing para estruturar um local onde aqueles que não dançam possam ter a experiência em um nível físico. Nas palavras dela, “a dança está ali dentro para ser experimentada”.

A companhia profissional do grupo apresenta performances por todo o Reino Unido, Estados Unidos e Canadá. O alcance e os projetos da companhia propiciaram a criação de programas artísticos em comunidades de Londres e sul da Inglaterra, Winnipeg e Manitoba, no Canadá, e nas cidades de Detroit, Flint e Nova Iorque, nos Estados Unidos.

Adesola é coreógrafa, dançarina e professora, e começou a carreira no Dance Theater of Harlem. Depois fundou sua própria companhia, a Saltare, enquanto morava em Nova Iorque, saindo em turnê pelo Reino Unido, Costa Leste Americana, Caribe e Canadá. Em 2000, ela mudou-se para o Canadá, onde fazia parte de um programa nacional que levava artistas às escolas e também ensinava na Univerdade de Manitoba, onde Adesola criou a DancingStrong em 2001.

Seu interesse na dança como uma linguagem de experiência corporal levou-a a criar diversos projetos para o público mais jovem, usando a dança como uma expressão do indivíduo.

Um trabalho lindo que não requer prática, nem habilidade. Apenas olhos abertos.

Mais Matérias