03_2435_TPT_00022R_CROP copy

Senhor dinamite

Conteudo Isobar

Filme conta a trajetória de James Brown, que revolucionou a música com um ritmo único e eletrizante.

O longa “Get On Up”, que estreou este ano nos cinemas norte-americanos – e tem previsão para chegar ao Brasil em fevereiro de 2015, pela Universal Pictures –, narra a história do grande pai do funk, James Brown.

Com performance arrebatadora de Chadwick Boseman, ator que interpreta James Brown – e que, assim como o músico, é natural da Carolina do Sul, EUA –, a produção lança um olhar destemido sobre a música, os movimentos, o humor e as relações pessoais do mestre da soul music, que dominou a cena musical nos anos 1950 e 1960.

Outro ator que reforça o elenco é Dan Aykroyd (“Os Irmãos Cara-de-Pau”). Ele interpreta Ben Bart, presidente da Universal Attractions, agência que representou Brown por mais de 40 anos.

O diretor Tate Taylor – que recebeu quatro indicações ao Oscar pelo blockbuster “Histórias Cruzadas” – é quem apresenta ao público a jornada desse músico, dançarino e compositor, autor de clássicos eternos, como “I Got You (I Feel Good)”, “(Get Up I Feel Like Being A) Sex Machine” e “Please, Please, Please”.

Quando criança, Brown apanhava do pai (interpretado por Lennie James) e foi abandonado pela mãe (Viola Davis), que partiu sem dar explicações. Parou de estudar na sétima série porque tinha de trabalhar; e cresceu em uma Georgia rural e devastada pela Grande Depressão, sob os cuidados da tia Honey (Octavia Spencer). Para sobreviver, cantava e dançava em um bordel.

Os fãs de James Brown ficarão muito felizes em saber que foram utilizadas algumas gravações originais – o que confere ainda mais veracidade ao filme. Além disso, Chadwick Boseman toma conta das telas com uma coreografia impecável, coordenada por Aakomon Jones – profissional que já trabalhou com celebridades como Madonna, Jennifer Lopez e Usher.

O filme foi produzido pela Imagine Entertainment (de Brian Grazer, vencedor do Oscar® com “Uma Mente Brilhante” e “8 Mile – Rua das Ilusões”) e por Mick Jagger e Victoria Pearman (“Shine a Light”), sob a bandeira da Jagged Films. O vocalista dos Rolling Stones, aliás, era fã assumido de Brown – e amigo pessoal do artista.

Se James Brown estivesse vivo para assistir à produção (ele faleceu em 2006, em decorrência de complicações de uma pneumonia), ele certamente ficaria entusiasmado com tanto groove em um só filme – afinal, o que esperar da biografia cinematográfica de um dos músicos e dançarinos mais envolventes e extasiados de todos os tempos?

Mais Matérias