shutterstock_159503864

Reinventando o livro

Conteudo Isobar

Em um setor que enfrenta grandes desafios, novas editoras investem sua expertise em segmentos não explorados 

O mercado editorial brasileiro tem passado por grandes transformações. Uma dessas mudanças é a crescente competitividade, e é nesse cenário que as novas editoras inovam oferecendo algum diferencial.

Em meio a livros de colorir alavancando vendas de praticamente todas as editoras que aderiram, a ascensão do mercado dos livros digitais, a disputa pelo lançamento de best-sellers, há editoras que estão apostando em livros clássicos, atemporais e, de certo modo, esquecidos pelo grande público.

Com um cuidado primoroso, que carrega por trás um grupo de especialistas, a Bolha Editora e a Mundaréu, buscam não apenas oferecer um produto diferencial ao leitor, mas  também um serviço mais próximo e direto, uma tendência que tende a crescer.

Munidas de um grupo de editores e tradutores experientes, a pretensão inicial dessas editoras não é entrar na disputa pelos primeiros lugares nas listas de mais vendidos, mas com tiragens menores captar e manter um público cativo e próximo.

Bolha é uma editora carioca independente especializada em títulos traduzidos, mas também está interessada em publicar autores brasileiros que são ousados e não estão puramente preocupados com listas de mais vendidos. Para eles, também uma missão de trazer obras que dificilmente seriam lançadas no Brasil.

Além de editora, a Bolha também é um armazém de artes visuais e atua como uma espécie de curadores de um mercado que aparentemente andava em inércia.

Também recém criada, a Mundaréu teve como marco de estreia a publicação da coleção Linha do Tempo, presenteando os leitores com obras inéditas e de grande relevância, principalmente para quem se interessa por narrativas sobre guerra. Nessa coleção, é possível ter acesso a obras de diversos países que participaram efetivamente da guerra, narrativas de autores já conhecidos, como é o caso de Heinrich Mann (Alemanha) e Joseph Roth (Áustria), e inéditos, Emílio Lussu (Itália) e Siegfried Sassoon (Inglaterra).

Os livros da Mundaréu, são de um cuidado ímpar. Com uma identidade visual minimalista, os livros têm ótimo acabamento, traduções cuidadosas feitas por especialistas e diretamente da língua original, além de trazerem breves textos dos autores ou estudiosos, que dialogam com o conteúdo da obra.

Enquanto grandes editoras se digladiam em leilões milionários na eterna busca por um best-seller, pequenos editores vão na contramão e, com criatividade, inventam editoras e conquistam seu espaço.

Mais Matérias