João-cascata e gaspar-cascata - TOMO1 - p.342-343

Redescobrindo os Grimm

Conteudo Isobar

Coletânea traz os famosos contos dos irmãos Grimm em sua versão original

Em 1812, os irmãos Grimm publicavam o primeiro tomo de uma coletânea de contos. Três anos mais tarde saia a segunda parte das histórias reunidas, relançadas recentemente pela Cosac Naify para celebrar o bicentenário da primeira publicação dos Contos maravilhosos, infantis e domésticos.

Uma obra rara, é a primeira vez que a versão original das 156 histórias dos Grimm foi lançada no Brasil, traduzida diretamente do alemão pela especialista Christine Röhrig. Além dos contos, o prefácio original de Jacob e Wilhelm Grimm também fazem parte dessa coletânea.

Com o objetivo de trazer o universo lúdico das histórias originais, o renomado ilustrador pernambucano J. Borges captou o maravilhoso dos textos e apresenta aos leitores com a técnica nacional da xilogravura.

A coletânea, assim como a original, também está dividida em dois tomos e conta com apresentação e notas de cunho histórico do professor Dr. Marcus Mazzari. Contos maravilhosos, infantis e domésticos traz o conhecido universo dos contos de fadas da maneira autêntica que eram contadas no século XIX.

O “felizes para sempre” de histórias tão conhecidas não fazem parte da versão original, e os contos que escutamos desde pequenos são redescobertos quando conforme a primeira edição. Branca de Neve, por exemplo, sequer é acordada por um beijo de seu príncipe encantado, e A Gata Borralheira também não possui uma fada madrinha – para os irmãos Grimm, nem tudo são flores.

Temas tabus também fazem parte das histórias originais, como morte, abandono e assassinato, assuntos que não vemos na literatura infanto-juvenil moderna. Tratados com bastante naturalidade, os temas surpreendem pela honestidade com que são narrados.  No prefácio do tomo II, os irmãos Grimm se defendem das críticas que receberam na época:

“A chuva e o orvalho caem como uma boa ação sobre tudo o que se encontra na terra; quem não quiser expor suas plantas por achar que elas são demasiado sensíveis e poderiam ser danificadas, preferindo regá-las na sala de estar, não haveria de querer que não haja chuva e orvalho por causa disso”, afirmam.

Além dos contos mais famosos, a coletânea também apresenta histórias desconhecidas e poemas inusitados. Para preparar a primeira edição, os irmãos saíram por povoados da região de Kassel, na Alemanha, ouvindo e anotando os contos mais populares, e fizeram questão de manter as marcas da oralidade em suas histórias.

A coleta levava em conta a exatidão do relato das pessoas, mostrando o cuidado em preservar a tradição oral tão característica dos contos populares. Essa mesma atenção se deu na tradução das histórias, um grande desafio editorial.

Na apresentação realizada pelo Dr. Mazzari, o professor explica a dificuldade em se traduzir o conceito de Marchen, por exemplo, presente no título original, que estaria mais ligado ao maravilhoso – daí a decisão em não utilizar “contos de fadas”.

Muito mais do que histórias para crianças, a nova coletânea tem contos para toda a família!

Mais Matérias