BB Revista

Picasso e a modernidade espanhola

Conteudo Isobar

CCBB recebe obras-primas de Picasso e grandes nomes do modernismo espanhol em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Conhecido como um dos fundadores do movimento cubista, no início do século XX, Pablo Picasso contribuiu também com o modernismo. E é este o viés que será tratado na exposição “Picasso e a modernidade espanhola| Obras da Coleção do Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía”, resultado de parceria do CCBB com a Fundação Mapfre, que fica em cartaz no CCBB  São Paulo de 25 de março a 08 de junho e no CCBB RJ de 24 de junho a 07 de setembro.

Com curadoria de Eugenio Carmona, professor de História da Arte da Universidade de Málaga, a exposição conta com cerca de 90 obras do acervo do museu Reina Sofía, de Madri, que mostram como Picasso concebeu a modernidade e também sua influência com os principais artistas espanhóis da época.

Todos eles tiveram papel decisivo na criação e nas definições da arte moderna internacional. Por isso, a exposição promove o encontro com as contribuições desses criadores de maneira única, sem rótulos, a partir dos fundamentos estéticos que determinaram as referências da modernidade espanhola.

Além disso, apresenta os diálogos, as inter-relações e os desafios que se estabeleceram entre o próprio Picasso e Juan Gris, Miró, Dalí, Julio González, Óscar Domínguez e outros mestres da arte moderna do país.

Dividida em oito módulos, “Picasso e a modernidade espanhola” conta oito histórias que resumem oito possibilidades criativas. “Picasso. O trabalho do artista” e “Picasso. Variações” tratam especificamente de sua relação com a modernidade nos espaços.

Já para retratar obras de modo transversal, são dedicados os módulos “Ideia e forma”, “Signo, superfície, espaço”, “Realidade e super-realidade” e “Natureza e cultura”.

Um módulo especial convida o visitante a um mergulho no imaginário de Picasso, que ajuda a perceber como ele concebeu as iconografias de sua conhecida obra Guernica – para isso, recorre-se a suas elaborações em torno de “O monstro e a tragédia”. A mostra é concluída destacando o final dos anos 1950 e como a arte espanhola caminhou “Em direção a outra modernidade”.

Também poderão ser vistas obras-primas, tais como Cabeça de Mulher (1910), Busto e Paleta (1932), Retrato de Dora Maar (1939) e O Pintor e a Modelo (1963), além de estudos e esboços para Guernica, que ajudam a entender o processo de criação de umas das obras mais importantes da história.

Concebida como reação ao bombardeiro nazista durante a Guerra Civil espanhola na pequena cidade de mesmo nome, Guernica é um verdadeiro manifesto em favor da paz.

Para o público brasileiro que deseja fazer parte deste capítulo da história da arte, “Picasso e a modernidade espanhola” fica em cartaz no CCBB São Paulo de 25 de março a 8 de junho e de 24 de junho a 7 de setembro no CCBB Rio de Janeiro. Acesse o site e confira todas as informações.

 

Mais Matérias