Porteiro – Crédito Letícia Godoy

O Castelo Rá-Tim-Bum

Conteudo Isobar

Sucesso de público em São Paulo, a exposição chega ao Rio de Janeiro no Dia das Crianças

Vista por mais de 400 mil pessoas no Museu da Imagem do Som, em São Paulo, Castelo Rá-Tim-Bum – A Exposição chega dia 12 de outubro ao Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB RJ) para promover uma viagem lúdica no tempo e imaginário de crianças, jovens e adultos.

Um dos maiores e mais bem-sucedidos programas infantojuvenis já produzidos no Brasil, a exposição celebra os 20 anos da inauguração do Castelo na TV Cultura. Nino, Biba, Pedro e Zequinha marcaram uma geração que agora terá a oportunidade de conhecer toda a história por trás da história.

Com entrada gratuita, o diretor do CCBB, Marcelo Mendonça, espera um público de até 500 pessoas simultaneamente: “Atendendo aos pedidos do público, o CCBB traz para a cidade, com gratuidade e capacidade ampliada de atendimento, uma mostra que toca nossa memória afetiva e propõe uma imersão ao espaço lúdico do Castelo. Nos orgulhamos de proporcionar o contato com uma produção genuinamente brasileira”, conta.

A exposição apresenta 12 cenários do Castelo, como a Biblioteca, a Sala da Lareira, o Quarto da Morgana, a Cozinha, o Lustre do Castelo e o Quarto do Nino, todos decorados com peças do acervo da TV Cultura e dos próprios atores, diretores e roteiristas. Os visitantes ainda terão acesso aos figurinos e bonecos originais, como as botas Tap e Flap, a cobra Celeste e o monstro Mau.

Além dos itens de gravação, também compõem a mostra 200 fotografias inéditas, documentos originais do início do programa, como os testes de elenco, roteiros, estudos de cenário e as diretrizes pedagógicas, tudo isso em cenários que propõem uma completa imersão no universo do programa, com as músicas de maior sucesso, como “Lavar as mãos”, do Arnaldo Antunes, e a hora do banho do Ratinho como trilha sonora da visita.

O Castelo

Programa infanto-juvenil de maior sucesso já produzido no Brasil, Castelo Ra-Rim-Bum é uma realização da TV Cultura e foi transmitido entre 1994 e 1997. Criado pelo diretor Cao Hamburguer e o dramaturgo Flávio de Souza, a série também contou com roteiro de Anna Muyleart, Dionisio Jacob, Cláudia Dalla Verde, entre outros. Foram 250 profissionais envolvidos no projeto, desde atores, equipe de efeitos visuais, marceneiros, professores, cenógrafos e pintores.

Todo este envolvimento rendeu o prêmio de melhor programa infantil de 1994, pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) e medalha de prata por dois anos consecutivos (1994 e 1995) como melhor programa infantil do Festival de Nova York. Além disso, o programa foi recorde de audiência na televisão brasileira, mantendo uma média de 12 pontos – uma marca jamais alcançada por um programa educativo ou por um programa da TV Cultura, o que comprova o gigante sucesso do Castelo.

A história da série se passa na casa de Nino, um menino de 300 anos que mora com o tio, Dr. Victor, feiticeiro e cientista, e a tia-avó Morgana, feiticeira e contadora de histórias, além da companhia de criaturas mágicas, como as fadas Lana e Lara, o sábio Gato Pintado, o não tão malvado monstro Mau, os passarinhos João de Barro e Patativas, e vários outros personagens queridos que completam este cenário lúdico.

Por se sentir muito solitário, Nino faz uma magia que leva Pedro, Biba e Zequinha ao Castelo, onde começam todas as aventuras. Outros personagens que também aparecem em alguns episódios são a jornalista Penélope, o entregador de pizza Bongô, o extraterrestre Etevaldo, a personagem folclórica Caipora e o grande vilão, Dr. Abobrinha, ou Dr. Pompeu Pompílho Pomposo – uma espécie de empreendedor malvado que pretendia destruir um patrimônio para construir um prédio de 100 andares.

A exposição ficará em cartaz até o dia 11 de janeiro de 2016, e os visitantes terão a oportunidade de (re)viver as magias do Castelo mais famoso e querido do Brasil. Para mais informações, acesse o site do CCBB RJ.

 

Produtos Estilo Para Você

Mais Matérias