shutterstock_39423697

Meio século de rock

Conteudo Isobar

Rolling Stones, uma das bandas mais emblemáticas de todos os tempos, voltam ao Brasil e fazem quatro shows épicos

Em fevereiro deste ano, os lendários Rolling Stones retornaram ao Brasil para uma turnê memorável. Quem os viu em Copacabana há 10 anos pode ter pensado que seria a última oportunidade de ver o grupo de Mick Jagger ao vivo, mas os incansáveis “veteranos do rock” continuam cheios de fibra e agitando o público nessa nova turnê.

No Brasil, os Stones passaram pelo Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre, com ingressos esgotados em todas as cidades. Os paulistanos lotaram o estádio do Morumbi em dois dias, 24 e 27 de fevereiro, mesmo embaixo de chuva. O clima entre o público era de muita festa e nostalgia, e os astros tinham em seu repertório apenas os clássicos que embalaram os fãs ao longo de todos esses anos.

Com um público que contempla todas as gerações, eram mais de 60 mil pessoas cantando “Start me up”, o hit que abriu o primeiro show em São Paulo. Talvez a banda mais icônica de todos os tempos, o show do Rolling Stones é como a narrativa de uma trajetória que vai muito além da história da banda: é a história do próprio rock’n’roll.

O cliente do Banco do Brasil, Daniel Annenberg, e seu filho, Teo, tiveram a oportunidade de conhecer Mick Jagger, Keith Richards, Charlie Watts e Ronnie Wood, realizando um sonho que passou de pai para filho. “Assisti ao show há 18 anos e agora estou podendo ver novamente. Conhecer essas lendas foi emocionante, eles foram supereducados comigo e com o Teo”, contou Daniel. Ele e o filho ainda acompanharam o show no Camarote Ourocard, ao lado de celebridades como Rodrigo Faro, Monica Iozzi e Eliana.

Após 54 anos de carreira, a nova turnê é um reencontro e uma celebração. Mick Jagger estava sorridente, esforçou-se para conversar com o público em português. Dançando e pulando por todo o palco, mostrou porque é o frontman mais influente do mundo e ainda teve tempo para mandar um “beijinho no ombro” para o público. Já Keith Richards, com toda a sua simpatia e carisma de sempre, levou o público ao delírio em seus solos de guitarra tão conhecidos, fazendo com que a banda fosse ovacionada ao final de cada música.

No bis, o Coral Sampa acompanhou os Stones em “You can’t always get what you want”, e a banda se despediu com “(I can’t get no) Satisfaction”, fechando um show que, com certeza, deu muita satisfação a todos os que puderam curtir a noite. E fica a pergunta: será que essa foi a última oportunidade de ver a banda no Brasil?

Esperamos que não.

 

Mais Matérias