shutterstock_58156078

Leitura de viagem

Conteudo Isobar

Duas histórias de quem decide abandonar a vida urbana em busca de uma nova realidade.

Largar o trabalho e a cidade grande para se mudar com a família para outro país é uma decisão arriscada, que poucos têm a coragem de tomar. Porém, dois londrinos decidiram deixar a vida na cinzenta Inglaterra e partir para uma nova fase em lugares fascinantes.

Os resultados dessas experiências foram relatados nos livros Um ano na Provence (Editora Sextante) e A Casa do califa  - um ano em Casablanca (Editora Roça Nova), de Peter Mayle e Tahir Shah, respectivamente.

Tahir Shah vem de uma família anglo-afegã com raízes nas fortalezas montanhosas do Hindu Kush. Formado em Relações Internacionais, liderou expedições de pesquisa no Paquistão, Brasil e África e escreveu o livro In Search of Solomon’s Mines, fruto de uma pesquisa que o levou à Etiópia em busca do mistério das Minas de Salomão.

Ainda assim, tinha a ideia de escapar dos dias cinzentos e do ar poluído em direção a uma cidade cercada de brisa e de árvores frutíferas. Para transformar o sonho em realidade, ele e a esposa investiram todo o dinheiro que conseguiram economizar na compra de Dar Khalifa, uma mansão de frente para o mar de Casablanca, no Marrocos, que pertencera ao califa, ou líder espiritual da cidade.

Nem tudo ocorre como ele planeja. A casa do título, por exemplo, está em estado deplorável e a família Shah tem de lidar com uma cultura totalmente diferente do que conheciam. No Marrocos as tradições islâmicas e a multicultura africana encontram-se e o medieval convive com o moderno.

De empregados que trazem para dentro de casa os costumes locais, tais como rituais de exorcismo envolvendo o sacrifício de cabras com objetivo de espantar gênios maus que habitam casas vazias, até o convívio com vizinhos gângsteres que tentam roubar a propriedade.

Tahir compra a casa num impulso e transforma sua recuperação em objetivo de vida. Ao reconstruir, junto com a família, paredes, pisos, fontes e janelas, ele restaura também suas crenças, hábitos e até sua própria alma.

Já Peter Mayle encontrou um lado da França que não exigiu muito esforço para se acostumar. Há quase 25 anos, Peter Mayle e sua esposa deixaram a Inglaterra para morar numa casa rural na Provence (sul do país).

Durante seu primeiro ano, o autor registrou mensalmente as descobertas de sua realidade na França. A reunião dos relatos deu origem ao livro Um ano na Provence, um misto de guia turístico e romance, com descrições deslumbrantes da rústica vida provençal e toques do humor britânico.

Mayle descreve com paixão a comida e os humildes cozinheiros, as paisagens repletas de verde e lavanda, as implicâncias de um vizinho encrenqueiro que não faz questão de receber turistas, as divertidas corridas de cabras e o assustador vento mistral – capaz de arrancar telhas de casas e destruir encanamentos. Segundo ele, “um local onde o tempo é governado pelas estações, não pelos dias”.

Leituras para viajar sem sair do lugar – ou para usar como inspiração e fazer as malas também!

 

Mais Matérias