A peça conta com grande elenco (Ronaldo Gutierrez)

Intimidade conflituosa

Conteudo Isobar

CCBB traz peça da dramaturgia norte-americana

Está em cartaz, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) do Rio de Janeiro, a peça Gata em telhado de zinco quente, inspirada na obra do dramaturgo norte-americano Tennessee Williams (1911-1983), escrita em 1955. O espetáculo permanece na capital carioca até 21 de agosto.

Gata em telhado de zinco quente trata das disputas entre os herdeiros de um homem rico da região do Delta do Mississipi, no sul dos Estados Unidos. Aos 65 anos, o patriarca descobre-se doente, com um câncer terminal. Nesse panorama, as relações afetivas e familiares mascaram, de diversas maneiras, a sede de cada personagem em garantir sua parte na herança.

A peça permite imersão implacável nos meandros mais conflituosamente íntimos da família: uma mistura de ambição, incompreensão e remorso.

No epicentro da trama, Tennessee expôs tema bastante representativo de seu trabalho: a questão da presumida homoafetividade do personagem principal, Brick, enlutado por conta do suicídio de seu amigo Skipper.

O título do espetáculo é uma referência à esposa de Brick, Maggie, mulher ambiciosa e de sensualidade felina que se vê inserida na tempestuosa relação familiar.

Gata em telhado de zinco quente aborda ainda hipocrisias, mentiras e desejos. No espetáculo, essa ocultação de sentimentos é apropriadamente denominada pelo patriarca sexagenário de “falsidade”.

O elenco da peça é composto por Augusto Zacchi, Bárbara Paz, André Garolli, Noemi Marinho, Fernanda Viacava e Zecarlos Machado. A direção fica conta de Eduardo Tolentino de Araújo.

TENNESSEE WILLIAMS

O dramaturgo norte-americano Tennessee Williams nasceu em Columbus, no estado do Mississipi. Em 1955, ele foi vencedor do Prêmio Pulitzer de Teatro por conta da peça Cat on a Hot Tin Rooftop, nome original do espetáculo em cartaz, hoje, no CCBB do Rio de Janeiro.

A obra havia sido escrita em dois atos, mas recebeu um terceiro por sugestão do cineasta greco-americano Elia Kazan, que propôs também diálogo final entre Brick e Maggie, no intuito de torná-lo menos amargo e mais agradável à plateia. O sucesso da peça teatral está refletido na série de premiações que ela rendeu.

Ao levar adiante, em todas as unidades, projeto que combina a emblemática dramaturgia norte-americana e o trabalho continuado do renomado Grupo Tapa, o CCBB reafirma seu compromisso com a consistência artística e a formação de público.


Mais Matérias