Solar Ferrão | Crédito: Lázaro Menezes.

A casa da cultura

Conteudo Isobar

O Centro Cultural Solar Ferrão apresenta a pluralidade da cultura brasileira

O casarão Solar Ferrão é  um espaço dinâmico de arte, cultura e memória, instalado no Pelourinho, berço da cultura afro-baiana. Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em 1938, o casarão foi construído entre o fim do século XVII e início do XVIII.

A casa onde se localiza o centro cultural é considerada a “casa nobre” do Pelourinho, pois foi residência da família Maciel, pertencente à elite soteropolitana, até 1976. Entre 1793 e 1814, pertenceu a Pedro Ferrão, de quem herdou a atual denominação.

Formando um apanhando cultural diverso, o espaço abriga nos seus seis andares a Galeria Solar Ferrão, o Museu Abelardo Rodrigues e quatro coleções.

Coleção de Arte Africana Claudio Masella

 O colecionador italiano Claudio Masella, (Roma, 1935-2007), reuniu por mais de 30 anos uma coleção de arte africana com mais de mil exemplares. Esses objetos ilustram a arte dos principais grupos étnicos do continente africano, compondo um panorama ímpar para entendimento da diversidade cultural e as suas influências na formação do Brasil.

Coleção Walter Smetak

O músico e compositor suíço Anton Walter Smetak (1913-1984) viveu na Bahia entre os anos de 1957 e 1984, realizando inovadoras experimentações sonoras e plásticas, que influenciou gerações de músicos e artistas. Seus instrumentos, “As Plásticas Sonoras”, são considerados obras de arte por críticos e pesquisadores, e podem ser conferidos na mostra de longa duração “Smetak – O Alquimista do Som”.

Coleção de Arte Popular

Coleção reunida pelo cenógrafo e diretor teatral pernambucano Eros Martim Gonçalves (1919-1973) e ampliada pela arquiteta italiana Lina Bo Bardi (1914-1992), é composta por objetos coletados entre as décadas de 50 e 60. Apresenta peças utilitárias e figurativas, oriundas de estados do Nordeste e remanescentes do acervo do extinto Museu de Arte Popular, uma criação da arquiteta italiana Lina Bo Bardi. Na coleção podem ser vistos objetos de cerâmica utilitária, os curiosos “caxixis” (miniaturas em cerâmica), roupa tradicional de vaqueiro, brinquedos, oratórios, santos, ex-votos, ferramentas de orixás, carrancas, esculturas com temáticas do cotidiano.

Aberto de terça à domingo, o Centro Cultural Solar Ferrão é um dos pontos turísticos mais marcantes do Pelourinho. Para aqueles que procuram conhecer e apreciar a diversidade cultural nacional, é uma parada obrigatória.

Para ficar por dentro dos horário e programação consulte o site: http://www.cultura.ba.gov.br

 

 

Mais Matérias